VOCAÇÃO: É PARA VIDA TODA?


Por seminarista Hélio Ferreira da Silva

Acredito que existe um parasita no pensamento contemporâneo que deturpa e distorce toda a verdade sobre a vocação do homem, causando, por isso, um dano fatal na alma do indivíduo, quando alimentado pelo capricho de querer deliberadamente ganhar a vida.
Constatamos hoje uma triste verdade na sociedade: o homem contemporâneo não se preocupa mais com o exercício de sempre se dobrar diante do fato de que ter uma vocação implica em abraçá-la para a vida toda. Está se perdendo o belo significado da vocação que é entregar a vida. Quero lembrar, que a vocação não é uma brincadeira de faz de conta. Não estamos falando aqui de um simples jogo onde ao mesmo tempo em que decido jogar também decido parar sem pelo menos pensar nas conseqüências, mas sim de uma perfeita e maravilhosa maneira que Deus escolheu para nos salvar. Saliento aqui que se trata de uma realidade intrinsecamente pessoal. Assim nos afirma a Sagrada Escritura na segunda carta a Timóteo: “Ele nos salvou e nos chamou com uma vocação santa, não por mérito de nossas obras, mas por seu desígnio e graça a nós concedida desde a eternidade”.
Quando falamos de vocação, falamos de um caminho a ser percorrido tendo em vista a santidade, seja ela sacerdotal, vida religiosa ou matrimonial, que nos foi concedida livremente por Deus desde a eternidade. Isto prova que não se trata de um destino incerto que eu possa mudar quando e quantas vezes quiser simplesmente porque não me agrada, ou seja, “não estava nos meus planos”, nem tampouco de uma má sorte derivada da ira implacável de um Deus mal que não me deixa “livre” para escolher o que realmente  quero ser, mas que existe um Mentor que faz tudo por amor e nos pensou com uma vocação santa para o nosso bem.
Dessa forma, é próprio do homem sensato não caminhar sozinho, para que o seu egoísmo não o empurre para o abismo da escolha errada. Por isso, “irmãos, cuidai cada vez mais de confirmar a vossa vocação e eleição. Procedendo assim, jamais tropeçareis”. 2 Pd 1, 10. Como diz a expressão: “perto estás se dentro estás”.
Jovem, uma das efetivas formas de Deus nos falar, e a meu ver é a mais intensa, está expressa de forma belíssima naquele dito do, recentemente beatificado, Cardeal Newman: “cor ad cor loquitur”, o Coração fala ao coração, ou seja, Deus fala no coração. Por isso, o quanto mais íntimo do seu coração você estiver, e íntimo aqui implica principalmente em sinceridade, quanto mais íntimo e sincero for contigo mesmo, mais perto você estará daquele que é, aquEle que sem o qual nós não somos, mesmo quando na nossa rebeldia não queremos que seja, e  tentamos forjar oportunidades que favoreçam sempre para realizar os nossos caprichos.
Digo isso por que o que muitos não sabem é que depois do pecado original estamos doentes, e somos tendenciosos em não suportar a existência de um Deus. Um Deus de amor que nos pensou, e nos pensou com uma vocação santa. Jovem, escute, você estava e está nos planos de Deus, mesmo que Ele não precise, mas Ele quer precisar de você porque o ama. Ele escreveu no teu coração o desejo de procurá-lo, e não cessa de atraí-lo a Si. E mais, só nEle você encontrará a verdade e felicidade que tanto procura. (CIC – 27).
É bom para nós, que saiamos da ignorância relativista que deturpa o real, e avancemos sem medo para a verdade absoluta que sempre será satisfatória para nós que somos jovens, e temos um coração grande que não se contenta com pouca coisa. Deus é nossa única esperança. Ele sim nos preenche e sustenta.
Como nos diz o Padre Paulo Ricardo: “Deus é para nós uma necessidade tamanha que se Ele tira a sua mão, nós caímos no nada!”
Um grande abraço a todos, e que os Anjos da guarda vos ajude a confirmar cada vez mais a vossa vocação e eleição. Amém!


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ato de Reparação ao Sagrado Coração de Jesus

12 - O Deus escondido, o soberano sacerdote