Confiança nas Tempestades



Por seminarista Jefferson Corrêa


Gostaria de comentar o texto referido abaixo que me alimentou e espero que possa alimentar a mais pessoas.
Mt 8, 23-27
23Jesus entrou na barca, e seus discípulos o acompanharam. 24E eis que houve uma grande tempestade no mar, de modo que a barca estava sendo coberta pelas ondas. Jesus, porém, dormia.
25Os discípulos aproximaram-se e o acordaram, dizendo: “Senhor, salva-nos, pois estamos perecendo!” 26Jesus respondeu: “Por que tendes tanto medo, homens fracos na fé?” Então, levantando-se, ameaçou os ventos e o mar, e fez-se uma grande calmaria.27Os homens ficaram admirados e diziam: “Quem é este homem, que até os ventos e o mar lhe obedecem?” 
Este evangelho tem como imagem central os discípulos juntamente com Jesus em “alto mar” quando são surpreendidos por uma tempestade.
O mar na linguagem bíblica traz a ideia, ou melhor, é a representação do demônio, daquilo que é ruim. Mas o Senhor tem poder também sobre o demônio, Ele ordena e o demônio deve obedecer. A nossa preocupação é que nós queremos tudo “agora”, não sabemos esperar o tempo de Deus. Esse relato nos traz que Jesus dormia enquanto a tempestade chegava e Jesus os repreende por terem pouca fé. Nós quantas vezes estando com o Senhor, nos desesperamos por sermos impacientes, queremos o imediato e deixamos de confiar em Deus pensando que Ele nos abandonará e ficará dormindo.
Nós nos esquecemos de que as coisas não acontecem ao nosso tempo simplesmente por gesto do amor de Deus, é um gesto de seu amor, por exemplo, a demora de sua segunda vinda, nos tempos finais. A paciência de Deus é caminho de salvação para nós; se Ele voltasse agora, neste exato momento, quantos estariam prontos para ir com Ele? Mas não, Ele não veio ainda porque aguarda a nossa conversão e não quer perder nenhum dos seus.
Este barco no qual o Senhor se encontra é a nossa própria vida, que as vezes se abala diante das tempestades. Eu não sei o tamanho da tempestade pela qual passamos e ainda iremos passar, mas uma coisa é certa, o Senhor está conosco, Ele vem em nosso socorro, o que nós não podemos é perder a esperança de que Ele está conosco e não deixará nos acontecer mal algum, e se o mal aparentemente acontecer Ele irá tirar um bem maior; os sofrimentos virão porque fazem parte da configuração a Cristo e se temos sofrimentos pode ser sinal de configuração, de sermos “outro Cristo”, só não conseguimos passar pelos sofrimentos sozinhos. Não tenha medo de gritar pelo Senhor, de clamar por Ele, mas que seja um grito, um clamor de quem confia, não de desespero.
Tenhamos fé em Cristo, esperemos confiantes que Ele virá acalmar o mar, tirar a tempestade de nossas vidas e nós já saberemos “quem é este, que até os ventos e o mar lhe obedecem”.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Ato de Reparação ao Sagrado Coração de Jesus

12 - O Deus escondido, o soberano sacerdote