Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2011

HOMENAGEM AO FILHO PREDILETO PADRE STEFANO GOBBI

Imagem
Por seminarista Sahimon Jonathan Colombo
O Movimento já nasceu: Os jornais e a televisão não são para ti. Permanece sempre no meu coração em oração. Isto, e só isto, te deve interessar e preocupar: viver comigo e por meio de mim. O movimento sacerdotal mariano já nasceu. Mas é tão frágil e pequeno que para crescer e desenvolver-se, carece de muita oração. Seja esta a tua única ocupação. Em nenhuma outra coisa acharás gosto ou consolação.Mensagem do dia 8 de julho de 1973.

Faleceu Ontem em Milão na Itália, às 15h (no horário de Milão) o nosso querido Pe. Stefano Gobbi aos 82 anos. Ele, a pedido de Nossa Senhora, deu início e levou ao mundo os Cenáculos do Movimento Sacerdotal Mariano. Acompanhado, inclusive, durante 25 anos com as mensagens dadas em forma de locução interior por Nossa Senhora, que estão no livro: “Aos Sacerdotes, filhos prediletos de Nossa Senhora”. Nós tivemos a honra de ter a presença dele em Cuiabá varias vezes. Era inexplicável o tamanho amor que ele tinha por Nossa Sen…

SANTIDADE

Imagem
Por Seminarista Jefferson Corrêa
Logo de início se faz necessário vermos aquilo que a Igreja nos fala sobre este tema belíssimo, a santidade, algo que todos nós somos chamados a viver. De acordo com o catecismo, número 826, a alma da santidade é a caridade: “A caridade é a alma da santidade à qual todos são chamados. Ela ‘dirige todos os meios de santificação, dá-lhes forma e os conduz ao fim (Lumen gentium, 42)’.” Não podemos esquecer também que a santidade exige um combate espiritual, e que toda escolha exige uma renúncia, por exemplo, se eu escolhi ser padre consequentemente eu renuncio o matrimônio, ou se eu escolhi o matrimônio, consequentemente eu renuncio o sacerdócio, isso vale para todas as escolhas que fizermos durante toda a nossa vida e inclui também a escolha pela santidade. Ao escolhermos a santidade por meio de vida, escolhemos nos unir ao nosso Senhor, é a cada dia pegar a própria cruz e seguir a Cristo, não há, portanto, santidade sem cruz, ela é caminho para santidade, …

A NECESSIDADE DA ORAÇÃO

Imagem
Por seminarista Jefferson Corrêa
Gostaria de comentar o texto referido abaixo que me alimentou e espero que possa alimentar a mais pessoas. Atos 19,8-17.20 8Paulo  foi  então  à  sinagoga  e,  durante  três  meses,  falava  com  toda  liberdade,  discutindo  e persuadindo os ouvintes acerca do Reino de Deus. 9Todavia, como alguns se obstinavam na incredulidade e falavam mal do Caminho diante da multidão, Paulo rompeu com eles, tomou os discípulos à parte e, diariamente, ensinava-lhes na escola de um homem chamado Tiranos. 10Isso durou dois anos, de modo que todos os habitantes da Ásia, judeus e gregos, puderam ouvir a palavra do Senhor. 11Deus realizava milagres extraordinários pelas mãos de Paulo, 12a tal ponto que pegavam lenços e aventais que tivessem tocado sua pele, para aplicá-los sobre  os  doentes,  e  as  doenças  os  deixavam  e  os  espíritos  maus  se  retiravam.  13Alguns exorcistas  judeus  itinerantes  começaram  igualmente  a  invocar  o  nome  do  “Senhor  Jesus” sobre o…

O coração humano (1)

Imagem
por seminarista Carlos Gomes O homem sempre procurou Deus como um louco sedento do sublime em meio às misérias do seu tempo. Jeito um tanto forte para iniciar esta reflexão, mais complicado ainda, fazer uma “análise” deste porte, não porque os termos são vagos, mas sim, devido a centralidade do coração humano, enquanto o objeto de pesquisa. Este objeto pulsa para além do ritmo biológico, trata-se de um pulsar de palavras ditas no silêncio dos fatos históricos, e que, neste sentido, espera um interlocutor, alguém que tenha uma capacidade de adentrar um contexto assim, alcançando o infinito que “sustenta” o viver. Por outro lado, não temos dúvidas de que as manifestações religiosas ao longo do “pulsar histórico” encontram um horizonte para além da práxis, não porque o sentido do agir é algum elemento teórico do agir, mas sim, porque nas entrelinhas do agir o interlocutor se apresenta sem destruir o “pulsar silencioso”, antes, se apresenta neste redil da busca do sublime, para se apresent…